Publicado em: segunda-feira, 14/07/2014

Criança que havia sido curada do HIV, aparentou indícios de vírus da Aids nos EUA

Criança que havia sido curada do HIV, aparentou indícios de vírus da Aids nos EUAEspecialistas acreditaram que uma criança havia sido curada do HIV, mas após um tempo ela passou a demonstrar níveis do vírus da Aids, de acordo com informações da agência Reuters. O fato que aconteceu com a menina, conhecida como “bebê do Mississippi”, despertou a curiosidade de médicos e pesquisadores, e a colocaram como objeto de estudo de um caso sobre remissão duradoura da infecção, no qual foi publicado na revista “The New England Journal of Medicine” ainda no ano passado. Após 4 anos do nascimento da menina que nasceu prematura em uma clínica do Mississippi em 2010, por uma mãe infectada pelo HIV, ela passou por um tratamento durante 18 meses e passou mais de dois anos sem medicamentos antirretrovirais. Em todo este tempo, todos os exames de sangue feitos confirmaram que não haviam indícios do vírus.

Segundo o diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, Anthony Fauci, o que aconteceu com certeza foi uma reviravolta para a criança e para a equipe médica que que ficou responsável pelo caso e pela comunidade de pesquisa de HIV/AIDS.

Cura funcional

A menina foi classificada como o primeiro caso registrado da chamada “cura funcional” de uma criança já infectada pelo vírus. A cura funcional acontece quando o vírus está presente, mas de forma tão imperceptível que as chances de identifica-los são mínimas, a ponto dos testes clínicos padrões não conseguir detectar, ficando discernível apenas por métodos que sejam ultrassensíveis.

Essa cura é diferente da “por esterilização” que deduz uma limpeza completa de todos os indícios de vírus do corpo, isso quer dizer que o paciente pode levar uma vida normal e saudável, sem precisar submeter-se ao uso de remédios.