Publicado em: sexta-feira, 30/03/2012

Criança de 5 anos é uma das vítimas de casamento forçado na Grã-Bretanha

De acordo com dados divulgados recentemente por uma força tarefa do governo da Grã-Bretanha, uma criança de cinco anos é a menina mais jovem entre as 400, que são vítimas de casamentos forçados registrados no país no ano passado. Os números foram conseguidos através de uma consulta pública que foi concluída pela Unidade de Casamentos Forçados da Grã-Bretanha, órgão que ajuda crianças e mulheres que foram obrigadas a se casarem.

A líder da Unidade, Amy Cumming, afirma que 29% dos casamentos que foram conhecidos pelo grupo tinham menores de idade envolvidas. Ela afirma que há crianças com idade escolar participando da prática, como a menina de cinco anos já citada. As autoridades do país não dizem detalhes sobre onde os casamentos aconteceram, a fim de proteger as crianças. No entanto, os números não assustaram a Organização de Direitos das Mulheres Curdas e Iranianas (IKWRO), que dá assistência a mais de cem casos deste tipo de matrimônio todos os anos.

Criminalizar a prática

Com o término dos trabalhos feitos pela Unidade de Casamentos Forçados da Grã-Bretanha, a IKWRO tem esperança de que a prática do matrimônio forçado seja criminalizada. Fionnuala Murphy, da IKWRO afirmou para a BBC que a criminalização pode ajudar as vítimas, pois elas saberão que o ato é ilegal e poderão se impor e procurar por seus direitos.

Em 2011, a Unidade afirma que teve conhecimento de 1.500 casos. Porém, é muito provável que diversos casos não sejam comunicados para as autoridades do país. Em 2008, foram implantadas medidas de proteção para as vítimas desta prática no País de Gales, na Inglaterra e na Irlanda do Norte.