Publicado em: sexta-feira, 25/05/2012

CPI pede bloqueio de bens da construtora Delta

Os parlamentares que fazem parte da CPI que investiga a relação entre o empresário Carlinhos Cachoeira com empresas e políticos pediram ontem que a Justiça faça o bloqueio dos bens da construtora Delta. Além disso, pediram também que seja nomeado um administrador judicial para a Delta e que haja impedimento de qualquer mudança na empreiteira com relação aos sócios.

Deputados se incomodam com a demora e fizeram pedido à juiz

Incomodados com a demora da CPI, os senadores Pedro Taques (PDT-MT) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), exigiram que o juiz Jamil Rosa de Jesus Oliveira, pertencente à Justiça Federal de Brasília, impeça que a Delta faça movimentações financeiras. Eles pedem que sejam permitidas somente movimentações necessárias para a continuidade de contratos vigentes. Segundo o senador Taques, a CPI está muito lenta e a União não tomou as providências cabíveis, por isso o pedido do Congresso. Segundo eles as providências seriam a indisponibilidade dos bens da Delta e mais uma séria de questões.

Reunião dia 29 deve decidir quebra de sigilo da Delta

Embora a Delta seja um dos principais alvos da CPI, a comissão ainda não aprovou os pedidos de quebra de sigilos bancários, telefônico e fiscal da empresa nacional. Neste momento, apenas os dados da região Centro-Oeste foram pedidos pela CPI. A reunião que vai decidir sobre a quebra de sigilo nacional está marcada para o próximo dia 29. Os deputados que fizeram o pedido ao juiz também argumentam que a CPI relevou várias informações que lesavam o patrimônio público. Eles citaram os superfaturamentos, as irregularidades na execução das obras e sobreposição de contratos. Um ponto importante da investigação é a tentativa de comprovar que Cachoeira era sócio da empresa e a usava para lavar dinheiro referente aos jogos ilegais.