Publicado em: terça-feira, 04/09/2012

CPI do Cachoeira – Ex-funcionário da Delta consegue habeas corpus e diz que não vai á sessão

CPI do Cachoeira - Ex-funcionário da Delta consegue habeas corpus e diz que não vai á sessãoA CPI que está investigando as relações de Carlos Augusto Ramos, mais conhecido como Carlinhos Cachoeira, com diversos políticos e empresários, receberá na sessão de hoje (4) o ex-funcionário da construtora Delta André Teixeira Jorge. Mas, como diversos outros envolvidos no caso fizeram, ele obteve um habeas corpus no Supremo Tribunal Federal e não deve responder às diversas perguntas que serão realizadas pelos parlamentares.

A Polícia Federal investiga a suspeita de que ele tenha sido usado como “laranja” pelo grupo do bicheiro, Carlinhos Cachoeira. Segundo a PF, a evolução de patrimônio, bem como a movimentação financeira de Jorge se dão de maneira incompatível com os rendimentos que foram declarados.

A empresa Delta, onde Teixeira trabalhava, também aparece nas investigações da PF citada como um dos braços empresariais do grupo do contraventor. A empresa é investigada por suspeita de ter recebido dinheiro de empresas fantasmas ligadas ao esquema de Cachoeira.

Estava marcado, também, para a sessão de hoje o depoimento do então deputado federal Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO). Porém, no final da tarde de ontem (3), Leréia enviou um comunicado à CPI onde declarou que não vai comparecer. A secretaria da CPI informou que Leréia usou a alegação de que teria diversos compromissos pessoais anteriormente que já estavam assumidos. Leréia pode deixar de ir à CPI, já que foi convidado, como testemunha, e não como convocado. De acordo com a secretaria da comissão, o deputado, n mesmo comunicado, se colocou à disposição para comparecer à CPI em outra data. Ele informou que tem disponibilidade no próximo dia 18 de setembro.

Carlos Alberto Leréia está sendo considerado suspeito de envolvimento com os negócios de Carlinhos Cachoeira. Para a Polícia Federal, ele mantinha relação próxima com Cachoeira e, segundo as gravações das escutas telefônicas, ele recebeu a senha do cartão de crédito do bicheiro.

Diversas interceptações telefônicas que foram feitas pela Polícia Federal e que estão em seu poder, apontam a proximidade entre o deputado e o bicheiro. Em uma das gravações, que foi feita no dia 3 de junho de 2011, Leréia diz que já estava indo à sede da Construtura Delta para encontrar com Cachoeira.