Publicado em: quinta-feira, 12/04/2012

Corte europeia confirma incesto entre irmãos com quatro filhos

Um casal alemão que possuía um relacionamento incestuoso perdeu o processo em andamento junto com a Corte Europeia de Direitos Humanos. O casal alegava que tinha direito a ter uma vida em família, no entanto, a corte afirmou que a Alemanha possui a permissão para punir o incesto. O caso entre os alemães era inédito, pois o rapaz foi adotado e conheceu a irmã somente quando foi encontrar a família biológica, já adulto.

Susan Karolewski e Patrick Stuebing possuem quatro filhos do relacionamento, sendo que dois deles têm deficiência física. Patrick já foi condenado pelo crime e cumpriu três anos da sentença na Alemanha. A corte europeia, por sua vez, determinou que considerar o incesto como um crime não vai contra o direito fundamental de “respeito à vida privada e familiar”, que está garantido pela Convenção Europeia dos Direitos Humanos.

O caso

Patrick afirmou, em uma entrevista para a BBC em 2007, que encontrou Susan apenas aos 23 anos, quando foi até Leipzig para conhecer sua família biológica em 2000. Depois que a mãe faleceu, Susan e Patrick confirmaram que tinham se apaixonado. Susan afirma que não sente culpa pelo incesto e que pretende conseguir alterar a legislação da Alemanha.

Ela afirma que quer viver com sua família e que a Justiça e as autoridades a deixem em paz. Após a decisão dada pela Corte Europeia de Direitos Humanos, Patrick disse que sua família foi destruída pela Justiça. Patrick vive separado de Susan e três de seus filhos moram com outros casais. Susan está com a criança mais nova.