Publicado em: terça-feira, 18/02/2014

Correios investem em setor de telefonia celular

Correios investem em setor de telefonia celularAté novembro deste ano, os Correios pretendem iniciar suas atividades no setor de telecomunicações. O objetivo é recuperar as receitas perdidas com a redução no volume do envio de cartas e outras correspondências. Por isso, ainda em 2014, as cerca de sete mil agências dos Correios iniciarão a venda de celulares e smartphones, além de atuar em outros segmentos relacionados à telefonia móvel.

Faturamento

A entrada dos Correios no segmento de telefonia móvel é um projeto pensado em longo prazo. De acordo com Antônio Fuschino, do setor de tecnologia do órgão, o objetivo é faturar algo em torno de R$1,5 bilhão a partir de 2019. Esta nova empreitada dos Correios está em consonância com outros projetos alternativos de obtenção de renda, como o Banco Postal.

Para entrar no setor de telefonia móvel, o órgão firmou uma parceria com o grupo de serviços postais da Itália, o Poste Italiane. Esta união deu origem a uma joint venture, que ainda não teve seu nome definido. Atualmente, o faturamento obtido com a entrega de correspondências responde por apenas 50% das receitas dos Correios. A própria empresa vê esta área de atuação em declínio. Por isso, o objetivo é depender cada vez menos destes serviços. A necessidade das receitas provenientes das cartas tem sido, inclusive, chamada de “vulnerabilidade postal”.

Autorização

Assim como qualquer outro serviço ou dispositivo relacionado às telecomunicações no Brasil, os Correios precisarão de homologação da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Contudo, para entrar com este pedido, o órgão deve primeiro criar a nova empresa em parceria com a Poste Italiane. Estima-se que, ao longo dos cinco primeiros anos de existência desta nova empresa, sejam investidos R$150 milhões no setor, sendo que pouco mais da metade ficará sob responsabilidade da Poste.

O investimento para a criação da operadora parece baixo, mas isso só será possível porque os Correios pretendem criar uma operadora virtual, que possui planos próprios, mas se utiliza da estrutura de outras operadoras. No Brasil, a Porto Seguro Conecta foi a primeira operadora virtual a entrar em atividade, utilizando a estrutura da TIM.

Operadora

No momento, os Correios ainda não definiram qual operadora fornecerá a infraestrutura para seus novos negócios. Contudo, no momento, há conversas em andamento com Claro, TIM e Vivo. Das grandes operadoras em atividade no Brasil, a única que não está na negociação no momento é a Oi, devido a problemas de agenda.

Embora seja uma empresa à parte, a operadora virtual terá diversos negócios atrelados aos serviços dos Correios. Seus clientes poderão, por exemplo, movimentar suas contas do Banco Postal, enviar telegramas e rastrear encomendas com maior praticidade.

O sistema de telegrama online já existe na internet. Contudo, as cobranças são feitas a partir do cartão de crédito do cliente. No caso dos telegramas por celular, utilizando a operadora dos Correios, será possível descontar os valores dos créditos telefônicos.

Segundo os Correios, o pedido para homologação da nova operadora será enviado à Anatel dentro de, no máximo, sessenta dias.