Publicado em: terça-feira, 10/04/2012

Coreia do Norte deixa tudo pronto para lançamento de satélite

Os preparativos para o lançamento cada vez mais iminente de um satélite pela Coreia do Norte já estão finalizados. Mesmo com os pedidos de Coreia do Sul e Estados Unidos para cancelar o lançamento do Kwangmyongsong-3, nada foi mudado nos planos. Os países temem que a situação seja apenas um teste de mísseis disfarçado. Já estão posicionadas e acopladas na plataforma de lançamento as três partes do foguete. Depois que a carga do combustível estiver completa, o último passo, o projétil já estará em condições de decolar a qualquer momento, entre o dia 12, quinta feira e o dia 16, segunda feira.

O lançamento deste foguete, que possui 91 toneladas e 30 metros de longitude, irá coincidir com as comemorações na Coreia do Norte pelo Centenário do nascimento de Kim Il-sung, que acontece no próximo domingo. Kim foi o fundador do regime comunista com base na realidade bipolar da Guerra Fria, marcado principalmente pelo culto extremo aos líderes.

A campanha do país foi orientada com a intenção de mostrar ao mundo que suas intenções são pacíficas. De forma que a Coreia do Norte organizou uma visita a base de onde o Satélite será lançado para 60 jornalistas, de 19 países diferentes. As autoridades mostraram então neste momento o foguete, que vem sendo considerado por parte da comunidade internacional como um futuro míssil, que transportaria ogivas nucleares.

Pontos de vista

A demonstração para o público restrito ainda não foi o suficiente para acabar com as suspeitas dos EUA e da Coreia do Sul, que vem sendo apoiados por outros países e pela ONU, pedindo que o líder Pyongyang desista de sua aventura espacial. O temor dos aliados do ocidente é de que o lançamento de um foguete de longo alcance esteja violando a resolução 1718 do Conselho de Segurança da ONU, proibindo países comunistas de testar equipamentos bélicos.

A preocupação se junta ao temor de outro teste nuclear na Coreia do Norte, especialmente, depois das fotografias realizadas por satélites que revelaram movimentos incomuns no nordeste do país, mesma região em que o país testou material atômico em 2006 e 2009.

Na conferência que acontece na próxima quarta feira (11) a expectativa é de que o jovem líder Kim Jong-un seja promovido a secretário geral do partido único, que era comandado por seu pai, falecido no ano passado.