Publicado em: terça-feira, 05/07/2011

Copa América 2011 – Chile 2 x 1 México

A proximidade entre Chile e Argentina fez da estreia dos chilenos na Copa América uma grande festa. Cerca de 20 mil chilenos compareceram para apoiar os comandados Claudio Borghi, sucessor de Loco Bielsea, contra a ultra desfalcada seleção mexicana, que convive com vários cortados após episódio envolvendo prostitutas e atletas no hotel.

Na partida que antecedeu o embate, entre Uruguai e Peru, já era possível ver as dezenas de bandeiras chilenas e centenas de torcedores uniformizados em vermelho e azul. Quando o Chile subiu ao gramado, parecia adentrar o velho Estádio Nacional de Santiago. A empolgação foi correspondida em campo. No gramado, só dava Chile em busca do gol – artigo raro na 43ª Copa América.

Suazo, Sánchez e Fernández infernizaram o sistema defensivo do México, começaram a ameaçar pelas pontas até encontrarem o caminho pela faixa central. Por ali, Suazo saiu na cara da meta de Michel e bateu para fora. Fernández quase marcou de falta, acertou o poste. Até que, num apagão defensivo, os chilenos assistiram a Araujo encobrir o arqueiro Bravo com um toque de cabeça. Para a surpresa geral, o México liderava, 1 a 0.

O Chile voltou do vestiário mantendo sua vantagem técnica e sua desvantagem no placar. Até que, de tanto insistir, encontrou o empate após escanteio em que a bola sobrou para Paredes igualar. A equipe “da casa” teve a paz necessária para seguir atacando o México. E, minutos depois, Vidal cabeceou para virar o jogo. O Chile garantiu a virada e segurou o jogo até o apito final e delírio da torcida.

Na próxima rodada, chilenos encaram uruguaios, num dos jogos mais esperados da fase de grupos. A outra partida do Grupo C será Peru e México.

p1