Publicado em: quinta-feira, 10/07/2014

Construtora inicia recuperação de avenida destruída por queda de viaduto

Construtora inicia recuperação de avenida destruída por queda de viadutoA construtora responsável pelas obras do viaduto Batalha dos Guararapes, em Belo Horizonte, a Cowan, iniciou ontem as obras de recuperação da avenida Pedro 1, no trecho que ficou destruído pela queda do viaduto que matou duas pessoas e ainda deixou outras 23 feridas. A avenida se trata de uma das principais ligações entre o aeroporto de Confins e o centro da cidade capital de Minas Gerais e tem previsão para que o tráfego seja novamente liberado apenas no próximo sábado, dia 12 de julho.

Desde o início da manhã da última quarta, várias máquinas e operários da construtora já estavam depositando concreto no asfalto, o que deverá ser a base do novo recapeamento da via. Responsáveis técnicos da prefeitura de Belo Horizonte e também da Superintendência de Desenvolvimento da Capital também estiveram no local para acompanhar os trabalhos e realizar uma avaliação das condições atuais da pista. Cerca de 110 operários da construtora Cowan estão trabalhando na recuperação da via. A construtora informou ainda em nota que é responsável pela coordenação e também tem responsabilidade técnica pela demolição do viaduto. A nota informa ainda que a Cowan está arcando com todas as despesas da demolição e ainda da recuperação da parte danificada da via.

Conforme já foi apontado por alguns especialistas da área, a reconstrução do viaduto deve ficar perto de 80% do valor que foi orçado inicialmente para a execução dessa obra. Por isso, como o custo para a construção do viaduto está orçado em quase R$ 18 milhões, o valor também deve incluir o viaduto Motese, que fica localizado ao lado do viaduto que desabou, mas sofreu um deslocamento de cinco centímetros após a ocorrência da tragédia, que pode acabar tendo também a demolição como destino. Cerca de 75% do valor total se refere ao viaduto que caiu, o Batalha dos Guararapes. Os engenheiros estimam que a reconstrução dos dois viadutos custaria em torno de R$ 10 milhões, mas a Cowan não confirmou estes valores.