Publicado em: sábado, 17/09/2011

Conselho de Segurança da ONU alivia sanções à Líbia para estimular reconstrução do país

O Conselho de Segurança da ONU decidiu nesta sexta-feira (16) atenuar algumas das sanções impostas à Líbia enquanto país estava no auge das repressões de Kadafi contra as manifestações dos insurgentes que começavam a luter pela democracia. Agora, o Conselho de 15 países concordou em unanimidade a diminuir as sanções contra a empresa petrolífera do país e também ao Banco Central, o que permitiria que outras empresas voltassem a realizar operações na Líbia.

A decisão foi tomada depois de sete meses de guerra civil lideradas pelos rebeldes que conseguiram invadir Trípoli e dominar a capital do país. No mesmo encontro, o Conselho da ONU concordou em organizar uma missão especial para dar a ajuda necessária ao país nesse momento de reconstrução da sociedade depois de passar meses sob intensos combates internos. Com a consolidação do Conselho Nacional de Transição (CNT) e a indicação de um governo interino, agora a Líbia pode começar a restaurar o país.

Um dos diferenciais para que o CNT tenha decidido aliviar as sanções agora e não antes é o fato que o CNT domina a maior parte da Líbia. Nesta sexta-feira, os rebeldes militantes iniciaram novas ofesivas armadas em direção aos locais onde as forças de Kadafi ainda estão sob controle.

A decisão da ONU visa também alimentar a questão econômica da Líbia. Nesse sentido, todas as sações que haviam sido impostas à Corporação Nacional Petrolífera Líbia e à Companhia Petrolífera Zueitina foram suspensas. Com isso, o embaixador britânico, Mark Lyall Grant, afirmou que acredita que vai “ajudar na retomada da economia líbia”.