Publicado em: sábado, 31/03/2012

Confiança do consumidor apresenta alta em março

O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) aumentou em relação ao mês de fevereiro. A pesquisa foi feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e apresentou 113,2 pontos em março. Em fevereiro essa pontuação havia ficado em 112,8 pontos. No entanto esse valor ficou abaixo daquele registrado no mesmo mês em 2011, que chegou a 114,5 pontos. Esse número, de acordo com a confederação, indica que a confiança do consumidor é estável em 2012, já que as diferenças não são tão grandes.

De acordo com o economista da CNI, Marcelo Azevedo, esse resultado mostra que não houve aumento do consumo por parte da população geral. Isso ocorreu porque mesmo que tenhamos um cenário de melhora na inflação, o mesmo não ocorre com relação ao desemprego que teve piora. Se comparado com o ano passado, a situação financeira dos últimos meses teve piora em função do número de postos de trabalho.

Essa avaliação do Inec parte da observação de seis indicadores. Ele é elaborado de acordo com uma pesquisa de opinião pública feita pelo Ibope Inteligência, onde são entrevistadas 2.002 pessoas. Este mês a realização da pesquisa foi entre os dias 16 e 19 de março. Sobre os indicadores que fazem parte da pesquisa, trata-se da expectativa de inflação, situação financeira, compras de bens de maior valor, desemprego, endividamento e evolução da renda pessoal.

A CNI acredita que a melhora do valor final do índice é resultado do indicador sobre a melhora em relação ao aumento de preços. Esse indicador sozinho marcou 106,2 pontos no mês de março, contra 101,3 em fevereiro. Já com relação à inflação houve muitas respostas negativas, pois muitos acreditam que ela vai aumentar. O percentual de pessoas que respondeu que “vai aumentar” ou “vai aumentar muito” foi de 63%. Já o ponto negativo do índice diz respeito ao desemprego. Este mês foram 125,4 pontos ante 127,4 no mês anterior. Em percentual, 45% dos respondentes da pesquisa disseram que o desemprego deve aumentar nos próximos meses.