Publicado em: sábado, 10/12/2011

Conferência climática deve ser estendida para chegar a um acordo sobre tratado

A reunião da Conferência sobre mudança climática das Nações Unidas em Durban (COP-17), na África do Sul, que vem acontecendo há uma semana, deve ser prorrogada em um dia, sendo que estava programada para terminar na sexta-feira (9). Agora, os líderes devem continuar negociando até sábado (10) para tentarem chegar a um acordo e deixarem Durban com um novo tratado ambiental assinado. Os representantes internacionais passaram noites em claro para avançarem nas negociações.

Ao mesmo tempo em que o Brasil e a União Européia estavam otimistas com a possibilidade de assinarem um novo tratado ainda em Durban, líderes da Índia e da China, além de outros países, não aderiram ao mesmo tom. Existe a esperança de assinar uma continuação para o Protocolo de Kyoto, que vence no ano que vem, e de fazer um novo acordo global. A proposta de definir 2020 como a data para dar início à redução da emissão de gás carbono, que estava no rascunho para a versão final, foi duramente criticada.

Uma das maiores críticas ao texto do rascunho é a linguagem vaga empregada, que dá brechas para as condições legais da adesão ao tratado. Porém, alguns defendem que essa linguagem é a única maneira de fazer com que os Estados Unidos assinem o tratado, sendo que eles não aceitaram reconhecer o Protocolo de Kyoto.

Outra crítica é a data de 2020, que muitos consideraram distante demais para começar a colocar em prática as medidas de redução da emissão dos gases estufa. Agora restam poucas horas para chegarem a um acordo.