Publicado em: terça-feira, 26/06/2012

Condenado à morte na Indonésia pede que Dilma tente evitar sua execução

Marco Archer Cardoso Moreira, de 50 anos, foi condenado à pena de morte na Indonésia por tráfico de drogas. A mídia do país já divulgou que o brasileiro será executado, através do fuzilamento, em breve. Marco Archer Cardoso Moreira afirma que tem esperança que a presidente Dilma Rousseff interceda a seu favor e tente evitar sua execução.

Em uma entrevista dada por telefone durante a madrugada, ele pede para que a chefe de Estado brasileiro pelo menos tente, e afirma que ela é a única que poderá salvá-lo da morte. O brasileiro foi preso na Indonésia em 2003, quando tentava entrar no país com 13,4 quilos de cocaína. No ano seguinte, ele foi condenado à morte, sendo que não teve sucesso em nenhum dos recursos que entrou na Justiça.

Pedido de perdão rejeitado

Um procurador afirmou ao jornal “The Jakarta Post”, na semana passada, que o brasileiro deverá ser fuzilado nas próximas semanas. Isso faz crer que o presidente da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono, não aceitou o pedido de perdão, o que seria a última oportunidade de Archer conseguir escapar da execução. O brasileiro está preso da penitenciária de segurança máxima de Pasir Putih.

Archer afirma que não está com medo do que venha a acontecer, no entanto está esperançoso para que sua situação possa mudar. Enquanto o caso não é definido, a melhor situação que o brasileiro pode ter é continuar detido em outro país, e sem previsão de voltar para casa.