Publicado em: terça-feira, 28/08/2012

Concessão de Portos e Aeroportos terá medidas lançadas em Setembro

Concessão de Portos e Aeroportos terá medidas lançadas em SetembroDepois de anunciar que portos e aeroportos serão reestruturados com parceria privada, o governo anunciou que em setembro serão lançadas as medidas de concessões. A declaração foi dada pelo presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), empresa criada para monitorar e coordenar os projetos de concessão. Bernardo Figueiredo disse que os detalhes sobre o processo ainda estão sendo negociados, mas que em breve serão divulgados. As concessões são avaliadas por ministros, técnicos e especialistas sobre o assunto. Agora em agosto uma equipe viaja para a Europa para observar e analisar modelos de concessões implantados em outros países. A proposta é conhecer projetos e trazê-los para o Brasil. O presidente é um dos participantes que viaja amanhã juntamente com Gleisi Hoffmann, ministra da Casa Civil, Wagner Bitencourt, secretário da Aviação Civil, José Leônidas Cristino, ministro dos Portos e Lucio Coutinho, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES). A comitiva está planejada para passar pela Alemanha, Bélgica e França e o objetivo, segundo Figueiredo, é trazer boas referências para o Brasil.

Plano foi lançado dia 15 pela presidente Dilma

A proposta de lançar concessões para estradas e rodovias, assim como portos e aeroportos foi lançada no dia 15 de agosto pela presidenta Dilma Rousseff. O governo pretende investir R$ 133 bilhões em 25 anos para melhorar o setor de transportes no país. O Programa de Investimentos em Logística para Rodovias e Ferrovias quer incentivar que haja parceria entre o governo e a iniciativa provada no setor de investimentos em infraestrutura. O governo pretende alcançar a produção de 7,5 mil quilômetros de rodovias e mais 10 mil de linhas de trem para estimular o uso das ferrovias. Somente nos primeiros cinco anos do projeto o investimento público será de

79,5 bilhões, sendo que um dos objetivos iniciais é duplicar as principais rodovias do país.