Publicado em: quarta-feira, 12/09/2012

Computador pode decifrar emoções humanas

Computador pode decifrar emoções humanasUm computador com emoções humanas. Essa é a nova aposta dos “gênios” da informática. O novo computador, muito mais do que pessoal, está sendo elaborado para interpretar todas as emoções que o ser humano sente. A ideia é fazer a leitura através da posição dos lábios das pessoas. A pesquisa quer sofisticar o modo como nós interagimos com o nosso computador atualmente. Esse sistema vai muito além de ser um adicional. Vai permitir que pessoas com necessidades especiais possam interagir com os computadores e acessarem até mesmo a internet.

A nova máquina sensível é desenvolvida por um algoritmo genético. Permitindo assim que cada posicionamento efetuado pelo usuário tenha uma leitura própria do sistema do computador. O projeto avançado. O computador consegue analisar e reconhecer situações como alegria, nojo, surpresa, medo, raiva e tristeza.

A equipe que lidera o projeto do primeiro computador a ler as emoções humanas, afirma que já existem várias pesquisas voltadas a interação entre humanos e máquinas. A máquina não reconhece se a pessoa está fazendo o gesto com sinceridade ou não, mas é algo que está sendo aprimorado.

O computador torna-se mais do que pessoal

Um computador é uma máquina que auxilia o homem em várias operações de processamento de dados. Ele permite cálculo, imagens gráficas, entretenimento e relacionamento com outras pessoas. Os computadores pessoais permitiram que todas essas e mais operações se tornassem comuns em nosso dia a dia.

O primeiro protótipo de computadores foi criado entre 1550-1617 que permitia o rápido acesso aos números da tabuada. Desde lá os computadores estão ficando mais sofisticados. Ele não apenas um acessório para as relações humanas, ele está se transformando na relação humana, como afirmam vários sociólogos.

Para os estudiosos da sociedade, o do computador com emoções humanas é o limite de interações que estamos deslocando dos seres próximos a nós para as máquinas. Não conseguimos mais conversar horas com um amigo se não for pelo bate papo de alguma rede social. Para os cientistas isso prejudica até mesmo a educação de uma criança e sua concepção de mundo.