Publicado em: quinta-feira, 14/07/2011

Comprimido pode reduzir risco de transmissão do HIV

Algumas drogas anti-aids desenvolvidas para combater o vírus do HIV podem ser usadas para reduzir drasticamente as chances de infecção entre os casais heterossexuais, segundo indica dois estudos feitos na África e publicados nesta quarta-feira (13).

Os resultados acrescentam a lista lista de evidências crescentes de que um dos medicamentos prescritos para o tratamento desde meados dos anos 90 para tratar pessoas já infectadas também pode ser uma das soluções para reduzir ou interromper a disseminação da doença.

A pesquisa foi feita com casais heterossexuais do Quênia, Botsuana e Uganda. Os pesquisadores descobriram que ao ministrar as drogas anti-aids diariamente foram reduzidas as taxas de infecção em pelo menos 62% na comparação com o placebo. “Novos instrumentos eficazes contra o HIV são urgentemente necessários e esses estudos podem ter um impacto enorme na prevenção da transmissão heterossexual”, disse, em um comunicado, Margaret Chan, diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O objetivo da OMS, segundo Chan, será trabalhar com os países para usar o resultados das pesquisas a fim de implementar melhores estratégias de proteção ao vírus da Aids. O estudo foi financiado pela Fundação Bill & Melinda Gates. O diretor para HIV e Tuberculose, Stefano Bertozzi, disse em nota que o trabalho marca “um avanço significativo na busca para desenvolver novas medidas de proteção ao HIV”.