Publicado em: sexta-feira, 14/02/2014

Compositor surdo diz que recuperou parte da audição

Compositor surdo diz que recuperou parte da audiçãoNa última semana, o compositor japonês Mamoru Samuragochi surpreendeu o mundo ao confessar ter utilizado os serviços de um “ghost writer” para escrever suas peças e sinfonias (ou seja, Mamoru pagou alguém para escrever em seu lugar, apenas assinando as obras). Agora, nesta quarta-feira, o compositor voltou a atrair a atenção internacional.

Inspiração

Por muito tempo, Mamoru foi considerado um grande exemplo de superação, por ter continuado a compor suas músicas mesmo após sofrer a perda da audição. Na semana passada, o compositor disse que, devido a seus problemas de audição, contratou um professor de música clássica para criar as partituras em seu lugar. De acordo com Mamoru, esta parceria durou pelo menos dezoito anos.

Contudo, o professor de música em questão, Takashi Niigaki, disse que não acredita na surdez de Mamoru. Para ele, o famoso compositor só se utilizaria desta suposta deficiência para ganhar a atenção do público.

Audição recuperada

Após as declarações do professor de música, Mamoru afirmou que, nos últimos tempos, sua audição tem realmente melhorado. De acordo com o compositor, recentemente ele começou a ouvir “um pouco” novamente. Isso significa, segundo ele, que agora é possível ouvir algumas conversas, sob determinadas circunstâncias. A melhora na audição estaria acontecendo nos últimos três anos.

Desculpas

Mamoru também aproveitou as últimas entrevistas para pedir desculpas a seu público pela contratação de um ghost writer. Quanto à suposta recuperação da audição, o compositor disse ter medo de contar isto ao público, preferindo aguardar as reações dos fãs após a notícia de que ele não escrevia suas próprias obras. Por fim, Mamoru afirmou que, em breve, aparecerá novamente em público. O compositor também se ofereceu para ser examinado por especialistas.

O caso

Mamoru Samuragochi tem 50 anos e, desde os 35, dizia ter ficado surdo. Devido a suas obras, o compositor ficou conhecido como Beethoven japonês (o músico austríaco, que viveu nos séculos XVIII e XIX, era surdo). A “confissão” sobre a utilização de um ghost writer foi feita por intermédio do advogado do compositor.

De acordo com Mamoru, o ghost writer começou a ser utilizado em 1996, quando solicitaram a ele a produção da trilha sonora de um filme. Segundo o compositor, nesta época sua audição se agravou ainda mais e, para dar conta de produzir a trilha sonora, ele contou com a ajuda de Takashi Niigaki em mais da metade das composições.

Na década de 1990, Mamoru ficou mundialmente conhecido pela produção de trilhas sonoras para jogos de videogame, com grande destaque para Resident Evil. Após ter ficado totalmente surdo, Mamoru continuou a compor. Em 2013, o compositor foi protagonista de um documentário da emissora japonesa NHK, que fez muito sucesso em todo o mundo. Após as declarações do compositor, a NHK pediu desculpas públicas pelo documentário.

Gravadora

A Nippon Columbia, gravadora com a qual Mamoru tem contrato, também se manifestou publicamente, alegando revolta com o caso. Daisuke Takahashi, que participa das provas de patinação artística em Sochi, iria utilizar uma composição de Mamoru em sua apresentação, mas mudou de ideia.