Publicado em: terça-feira, 13/05/2014

Como não houve acordo motoristas de ônibus decidem paralisar mais uma vez o serviço de transporte no Rio de Janeiro

Como não houve acordo motoristas de ônibus decidem paralisar mais uma vez o serviço de transporte no Rio de JaneiroLogo após uma paralisação de 24h que causou muitos transtornos aos usuários do transporte público do Rio, os motoristas voltam a paralisar os serviços, desta vez a greve está prevista para terminar em 48h, a categoria decidiu pela greve após não ter havido acordo com a empresa de transporte.

No período de greve na semana passada ao menos os coletivos do tipo “frescão” circulavam na cidade, embora estivesse cheios esses ônibus contribuíram para que alguns dos usuários pudessem chegar aos seus destinos, já nessa semana nem mesmo os ônibus “frescão” estão circulando na cidade.

Hoje que é o primeiro dia da paralisação os usuários contam apenas com a circulação dos ônibus intermunicipais, mas mesmo com estes coletivos circulando, o fluxo de passageiros ainda é maior do que estes podem comportar, sendo assim o apoio de vans que são regularizadas está sendo muito procurado por alguns passageiros, porém a tarifa desse transporte aumentou no dia de hoje, a tarifa cobrada que geralmente é equiparada a do coletivos R$ 3 hoje está sendo cobrada a tarifa de R$ 10 dos passageiros.

Com a greve aumentaram também os congestionamentos da cidade já que há mais carros no trânsito, mesmo as vans já apresentam sua lotação máxima em todos os trajetos e com isso muitos recorrem ao uso de taxi para chegar aos seus destinos, porém nem mesmo o número de taxis está sendo suficiente para comportar o número de pessoas que precisam de transporte.

Questionada a respeito de sua posição em relação a greve, a empresa declarou por meio de nota que vai pedir ao Tribunal Regional do Trabalho que a prática dessa greve seja considerada abusiva e que os responsáveis pelo movimento sejam punidos, os servidores pedem por aumento de salário e também pedem por melhores condições de trabalho, já que em muitos desses coletivos os motoristas desempenham dupla função. Além de dirigir cabe a eles também cobrar.