Publicado em: quinta-feira, 03/04/2014

Comissão responsável por investigar denúncias da Petrobrás é instalada na Câmara

Comissão responsável por investigar denúncias da Petrobrás é instalada na CâmaraNa última terça-feira (2), foi criada e instalada uma comissão externa para investigar denúncias de propina na Petrobrás na Câmara dos Deputados. Segundo o coordenador da comissão, o deputado Maurício Quintella Lessa (PR-AL), o colegiado terá o objetivo de apurar um suposto suborno de funcionários da estatal por parte de uma empresa holandesa, a SBM Offshore.

O deputado também conta que tem a pretensão de primeiramente pegar algumas informações dos órgãos de fiscalização brasileiros sobre os contratos que foram feitos com a SBM, antes de viajar à Holanda afim de analisar de perto as investigações do Ministério Público do país europeu. Ele afirma que irá iniciar o trabalho planejado pelo Brasil com audiências no Tribunal de Contas da União, na própria Petrobras e no Ministério Público, após conseguir colher elementos irá à Holanda para reuniões com o Ministério Público da cidade europeia.

Com toda a investigação que cerca a Petrobrás, enquanto a comissão externa é instalada, senadores e deputados que são da oposição e de alguns outros partidos de base aliada se pronunciam para que seja criada uma CPI para investigar com maior detalhamento a Petrobrás. Lessa acredita que, a comissão externa e a parlamentar de inquérito podem trocar dados. Ele completa dizendo que, a comissão externa pode auxiliar a CPI até que ela seja instalada, até lá, serão quinze dias para indicar integrantes, e outros quinze dias para aprovar os recursos. O deputado acredita que em um mês a comissão externa já terá resultados e poderá passar informações à CPI.

Aprovação

A implantação da comissão externa para investigar as denúncias, teve sua aprovação no dia 11 do mês passado no plenário. Foi uma semana que a crise entre o governo, chamado “blocão” se destacou, o grupo se trata de parlamentares de partidos da base aliada que não estão de acordo com a relação que tem com o Planalto. Uma reportagem que foi publicada pelo jornal “Valor Econômico”, informou um suposto esquema de pagamento de suborno a algumas autoridades do governo e estatais de outros países, nos quais estão inclusos o Brasil, que soma em média US$ 250 milhões.