Publicado em: quinta-feira, 01/12/2011

Comissão de Ética recomenda exoneração de ministro do Trabalho

A Comissão de Ética da Presidência da República recomendou a exoneração do ministro do Trabalho, Carlos Lupi (PDT), em conseqüência da série de denúncias que foram feitas contra sua atuação em cargos públicos. O parecer da instituição foi divulgado na quarta-feira (30), mas acredita-se que a presidente Dilma Rousseff (PT) não deve demitir o ministro nesta quinta-feira (01), pois não havia recebido o documento oficial com a conclusão da Comissão de Ética.

Além da exoneração, o órgão do Governo também concluiu que caberia a aplicação de uma advertência ao ministro. De acordo com a Comissão de Ética, o ministro deve ser exonerado por “suposto desvio ético”. As denúncias contra Lupi vêm crescendo desde o começo de novembro, quando uma reportagem foi publicada na revista Veja acusando o ministro de participar de um esquema de corrupção de verbas em convênios com ONGs. A assessoria do ministro informou que Lupi não vai se pronunciar enquanto não tiver acesso ao documento completo.

De acordo com o presidente da comissão, Sepúlveda Pertence, “a decisão foi tomada com base nas explicações não satisfatórias apresentadas pelo ministro Carlos Lupi à Comissão de Ética e as respostas inconvenientes dadas ao Congresso Nacional”. O documento foi encaminhado à presidente, mas cabe a ela a decisão de aceitar ou não a sugestão.

Junto com as acusações de ter participado em esquema de corrupção, Lupi também foi acusado de ter sido funcionário-fantasma na Câmara de São Paulo enquanto cumpria com obrigações partidárias no Rio de Janeiro e de ter acumulado salários de dois cargos públicos em cidades diferentes.