Publicado em: sexta-feira, 26/07/2013

Comissão de especialistas acompanhará criação de vagas em medicina

Comissão de especialistas acompanhará criação de vagas em medicinaFoi criada pelo governo uma comissão com especialistas para acompanhar o desenvolvimento de novas vagas para o curso de medicina no Brasil, deverão ser analisados locais, acompanhamento de toda a implantação do curso e também o monitoramento, avaliando o curso, até que seja feita uma avaliação do Ministério da Educação (MEC). A avaliação final realizada pelo MEC será feita após seis anos de atuação do curso na área, porém anualmente haverá uma avaliação. Esta comissão servirá para acompanhar desenvolvimento dos cursos de medicina para faculdade privadas e públicas.

De acordo com Aloizio Mercadante, ministro da saúde um levantamento prévio realizado demonstra que 60 municípios no país já estão aptos para receber a faculdade. Estas vagas novas teriam o Sistema Único de Saúde (SUS) como seu norte para o ensino através do Programa Mais Médicos que passa a exigir que qualquer curso de medicina para ser autorizado deve ter ao menos cinco leitos do SUS, três alunos em cada equipe voltados para atenção básica, haver urgência e emergência e três residências médicas para atuar em áreas fundamentais que estão carentes, como a cirurgia geral, clínica médica, pediatria, ginelogia-obstetrícia e medicina de família e comunidade.

O ministro Mercadante afirma que as faculdades que não cumprirem com os requisitos exigidos terão que ser extintas. O MEC ainda vai determinar um prazo para que se faça a adequação para todas as exigências. Já para aquelas que são as exigências que tem relacionamento ao SUS, há pronto um projeto para a expansão que já está em curso, com o apoio do Ministério da Saúde.

Para as instituições particulares, vai ser lançado ainda no dia 16 de agosto um pré-edital e o edital que será definitivo no mês de setembro. Os locais do país onde não houver condições ou interesse a partir das instituições de graduação particulares, as instituições públicas devem suprir as demandas das vagas.