Publicado em: domingo, 30/03/2014

Combustíveis têm preços elevados em postos do Distrito Federal

Combustíveis têm preços elevados em postos do Distrito FederalProprietários de veículos do Distrito Federal convivem com mais um período de aumento no valor dos combustíveis no Distrito Federal, após mais um aumento imposto pelo Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do Distrito Federal (Sindicombustíveis-DF). A variação no preço da gasolina, por exemplo, foi superior a R$ 0,05 por litro, segundo levantamento realizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

A pesquisa, divulgada na última sexta-feira, aponta que a gasolina passou do valor médio de R$ 3,072 para R$ 3,128 desde a primeira semana de março. Já o etanol subiu mais de 31 centavos no período, passando de R$ 2,364, em média, para R$ 2,685 por litro. A ANP pesquisou os preços em 80 postos de combustíveis do Distrito Federal, encontrando preços do litro da gasolina que variam de R$ 3,09 a R$ 3,15, e valores do etanol entre R$ 2,67 e R$ 2,699.

O Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do Distrito Federal defendeu o reajuste, afirmando que ele é apenas um reflexo da inflação de valores da gasolina e do etanol por parte das distribuidoras de combustíveis, especialmente no primeiro produto. Os pequenos, porém constantes aumentos aplicados pelas empresas distribuidoras têm minado o lucro dos postos, segundo nota oficial do Sindicombustíveis.

Semanal

Por conta de tais aumentos, o sindicato do Distrito Federal afirma que não há viabilidade de manutenção dos valores repassados aos consumidores. A nota, assinada pelo presidente do Sindicombustíveis, José Carlos Ulhôa Fonseca, ainda dá conta de que estas elevações acontecem semanalmente.

O etanol hidratado, por exemplo, registra aumento acumulado de quase R$ 0,30 desde dezembro do ano passado, representando um aumento de 15,2%. Já o etanol anidro, que recebe mistura de gasolina, subiu aproximadamente R$ 0,09, representando uma elevação de 3,53% segundo o sindicato.