Publicado em: sexta-feira, 28/03/2014

Com queda na aprovação, governo federal vê oportunidade para mostrar mais trabalho

Com queda na aprovação, governo federal vê oportunidade para mostrar mais trabalhoA queda na popularidade do governo federal não é motivo de alarde para o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante. Segundo ele, a redução na aprovação do time de Dilma Rousseff é apenas mais um motivo pra prosseguir nos trabalhos, e até mesmo aumentar a intensidade.

O índice abaixo da média foi identificado por pesquisa encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) junto ao Ibope, que apontou redução de sete pontos percentuais na fatia de população que considera o governo federal ótimo ou bom.

Entre novembro de 2013 e março deste ano, a aprovação teve baixa de 43% para 36%. Para coletar o dado, foram ouvidas 2.002 pessoas de 141 cidades brasileiras. A pesquisa foi realizada entre 14 e 17 de março. Aloízio Mercadante ainda salientou que a vantagem de Dilma em relação aos possíveis concorrentes dela à presidência é muito grande, segundo dados coletados na mesma pesquisa.

Nas urnas, predomínio de Dilma é absoluto

De acordo com o levantamento, Dilma Rousseff tem 43% das intenções de voto entre os entrevistados, contra apenas 15% do segundo colocado e 7% do terceiro, informou o ministro, que lembrou que tal resultado garantiria reeleição ainda no primeiro turno, e também seria demonstração de que o trabalho realizado está no caminho certo.

A queda, entre tanto, representa uma frenagem considerável no ritmo de recuperação da popularidade do governo federal, iniciada após as manifestações populares que tomaram o Brasil na metade do ano passado. Antes deles, o índice de aprovação era superior a 55%, e logo após a onda de protestos caiu para pouco mais de 31%.

Especialistas apontam que este dado tende a ser elevado, uma vez que fatores positivos do governo serão cada vez mais divulgados em função da corrida eleitoral.