Publicado em: sexta-feira, 02/09/2011

Com desaceleração da economia brasileira, Brasil cresce apenas 0,8%

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou nesta sexta-feira (02) que a economia brasileira desacelerou no segundo trimestre de 2011. Depois do corte de juro básico que foi realizado pelo Banco Central, o instituto mostrou que a desaceleração na economia foi de 0,8% na comparação realizada com o mesmo período do ano passado, quando foi revelada uma expansão de 1,2 por cento. O IBGE ainda informou que o Produto Interno Bruto (PIB) do país no período de abril a maio deste ano cresceu 3,1% em comparação ao ano passado.

Este número foi o pior resultado na comparação desde o terceiro trimestre desde 2009, quando houve uma queda de 1,8% na economia brasileira. O IBGE anunciou ainda que o número atingido este ano foi o menor em relação aos países do chamado Bric, que é formado pelo Brasil, pela Rússia que apresentou um crescimento de 3,4%, pela Índia que cresceu 7,7% e pela China que atingiu um crescimento na economia de 9,5%.

Mesmo que essa desaceleração no mercado já fosse esperada pelos economistas, que esperava um crescimento 0,8% neste trimestre e 3,2% no ano, a situação do país em relação à economia não é muito otimista. As tendências, segundo o IBGE, são de queda do percentual da economia brasileira e que não existe um espaço para recuperar o cenário de valorização.

A questão do câmbio da moeda foi um dos principais motivos da desaceleração do mercado, pois com a queda do dólar a importação de produtos ficou maior e a exportação perdeu espaço.