Publicado em: quarta-feira, 16/07/2014

Com acordo feito entre Brasil e Rússia para produção de vacinas Instituto Butantã terá repasse de tecnologia russa para produção de vacina contra Hepatite C

Com acordo feito entre Brasil e Rússia para produção de vacinas Instituto Butantã terá repasse de tecnologia russa para produção de vacina contra Hepatite CDurante um encontro entre o presidente da Rússia Vladimir Putin e a presidente do Brasil Dilma Rousseff, os dois países estão em acordo para que cooperem com o uso de suas tecnologias para que haja a produção de vacinas e soros.

O documento foi assinado em meio a esse encontro das duas autoridades, com isso o Instituto Butantã ganha espaço para que possa comercializar sua vacina Tríplice viral que é utilizada para combate de Tétano Coqueluche e também difteria e também soros que são capazes de neutralizar os efeitos de picadas de cobras, escorpiões e aranhas, através do acordo a vacina e também os soros serão vendidos ao Instituto São Petersburgo.

Através dessa atitude do Instituto Butantã, o Instituto São Petersburgo fornecerá ao instituto brasileiro a tecnologia que é necessária para que possa ser produzida a vacina contra o vírus da Hepatite C e também pneumococos.

Marcelo Franco que é diretor substituto do instituto Butantã esteve em Brasília para a assinatura do protocolo e segundo informações passadas por ele não foram estabelecidos prazos ou mantida conversas a respeitos dos custos que serão gerados, de acordo com Marcelo o principal objetivo é de implantar a tecnologia necessária para que se possa produzir a vacina contra a Hepatite C.

Segundo Marcelo o instituto Butantã também tem interesse pelas tecnologias utilizadas para a produção da vacina de pneumococo, segundo ele a vacina de Hepatite C é produzida através de partículas sintéticas do vírus da doença é uma vacina que não tem produção no Brasil e que apresenta toxicidade baixa.

Marcelo declarou também que na primeira etapa eles realizarão visitas de caráter técnico para que possam assim visualizar tecnologias que possam ser interessantes para serem implantadas no instituto Butantã, logo após essa etapa se inicia então o repasse de informações mútuas entre os dois países, segundo Marcelo a lista de produtos candidatos tem aproximadamente 15 artigos.

Além do Instituto Butantã e do Instituto de São Petersburgo também integram o acordo a Microgem que é uma empresa Pública da Rússia, de acordo com Marcelo Franco estes acordos que são feitos tem como principal fator a parceria entre os países para que sejam desenvolvidos e produzidos novos itens, dentre estes acordos internacionais existe o acordo feito com o Nacional Health Institute dos Estados Unidos para que seja feita a produção de vacinas contra o rotavírus e também contra a Dengue, para que o Instituto Butantã possa iniciar o fornecimento das vacinas para o Instituto Russo é necessário que o Instituto Brasileiro faça a obtenção de uma pré-certificação junto à Organização Mundial da Saúde.