Publicado em: quarta-feira, 01/08/2012

Coca-Cola é expulsa e McDonald’s declara falência na Bolívia

Coca-Cola é expulsa e McDonald’s declara falência na BolíviaO governo de Evo Morales sempre considerou as empresas Coca-Cola e McDonald’s como uma “imposição gastronômica” dos Estados Unidos. Mas agora, as companhias norte-americanas deverão terminar suas atividades no país até o final de 2012. O McDonald’s decretou falência depois de tentar durante 14 anos se estabelecer na cultura alimentar dos bolivianos. Já a Coca-Cola foi expulsa do país de maneira formal.

As companhias deverão encerrar completamente suas atividades na Bolívia até o dia 21 de dezembro. Segundo o ministro das Relações Exteriores boliviano, David Choquehuanca, a determinação está em “sintonia com o fim do calendário maia”. Além disso, o término das atividades das empresas fará parte das comemorações do fim do capitalismo no país para o começo da “cultura da vida”.

Fim do egoísmo

Junto com o presidente boliviano, Choquehuanca afirmou que a data marcada para o término nas atividades das companhias norte-americanas também irá maçar o fim do egoísmo. O chanceler afirmou em sua declaração que este é o fim da Coca-Cola e “o começo do mocochinche”, uma bebida de pêssego. Para encerrar as atividades das companhias o governo se baseou tanto em aspectos culturais como também a saúde pública.

O governo afirma que o refrigerante possui várias substâncias que causam câncer e infarto. A briga entre Coca-Cola e Evo Morales teve início em 2010, quando o mandatário fez o anúncio de um refresco produzido totalmente na Bolívia, a Coca-Colla. A iniciativa tinha como finalidade validar o comércio da folha de coca.