Publicado em: sábado, 18/02/2012

CNBB envia carta a Dilma criticando o aborto

A Confederação dos Bispos do Brasil (CNBB) informou nesta semana que enviou uma carta à presidente Dilma Rousseff sobre a questão do aborto. A manifestação da CNBB foi resultado das declarações e do posicionamento da ministra da Secretaria de Políticas para Mulheres, Eleonora Meniccuci, sobre o assunto.

Meniccuci foi escolhida pela presidente, neste mês, para substituir a ex-ministra Iriny Lopes na pasta. Logo que assumiu, Meniccuci tratou do tema polêmico em entrevistas que forneceu à imprensa e disse que considera o aborto uma “questão de saúde pública”. Afirmou ainda que tem “convicção pessoal” sobre o assunto. No entanto a nova ministra esclareceu que esta é apenas a sua opinião e que durante a sua participação na pasta defenderá a política do governo e que o debate sobre a legalização será resolvido pelo Legislativo.

Em função dessas declarações o presidente da CNBB, o Cardeal Raymundo Damasceno Assis, declarou que considera “estranho” que a ministra tenha discutido desse tema logo após ser anunciada para ocupar o cargo. O Cardeal afirmou ainda que há muitas outras questões mais importantes para serem tratadas por Meniccuci. Assis disse que diante das declarações, a CNBB resolveu, por meio da carta, reafirmar a sua posição sobre o aborto. Para o Cardeal, a vida merece respeito desde o seu início e isso será defendido pela igreja.

Meniccuci está em Genebra e a assessoria de imprensa da Secretaria de Política para as Mulheres não se manifestou sobre o assunto.

CNBB critica distribuição de camisinha durante o carnaval

O Cardel afirmou que a CNBB também é contrária à distribuição de preservativos no carnaval. Assis disse que entende que o governo faça campanhas contra o vírus HIV, mas discorda sobre a entrega de camisinhas. Para a igreja o governo deveria estar mais preocupado com a saúde pública dos cidadãos, pois este é um dever do estado.