Publicado em: quarta-feira, 23/11/2011

Civis no Egito rejeitam proposta militar e continuam com o quinto dia de protestos

Na capital do Egito, a cidade Cairo, manifestantes e policiais entraram em conflito novamente pelo quinto dia consecutivo, após civis se organizarem em novos protestos contra o atual governo vigente, que está nas mãos do regime militar. O Exército assumiu o comando do país desde a queda de Hosni Mubarak, ex-ditador do Egito, que renunciou em fevereiro. Civis acusam os militares de perpetuarem o mesmo estilo de governo que acontecia enquanto Mubarak estava no poder.

Com início dos confrontos no sábado, líderes dos manifestantes informaram que os confrontos deixaram 38 mortos. A informação oficial divulgada pelo Ministério da Saúde mostra que são nove vítimas a menos que o número extra-oficial. Os civis realizam seus protestos na Praça Tahrir, já reconhecida como um dos pontos principais para as manifestações. A junta militar fez uma proposta de adiantar o processo de transição para o regime militar ao oferecer a mudança da data para as eleições presidenciais.

Em aparição na TV do Egito, o chefe do Conselho Supremo das Forças Armadas, Field Marshal Hussein Tantawi, afirmou que se a população fizer a reivindicação de uma transição imediata, a junta militar estará preparada para garantir tal mudança. No primeiro momento, o Exército havia marcado a transição governamental para o fim de 2012 ou começo de 2013.

Agora, a informação oficial é que as eleições foram adiantadas para o final de junho, mas não há uma data específica para essas eleições. Os civis não consideram que essa proposta seja suficiente, pois querem a substituição imediata de Tantawi.