Publicado em: sexta-feira, 29/01/2010

Cirurgião que fez lipoaspiração em jornalista será indiciado por homicídio doloso

O médico responsável pela realização da cirurgia de lipoaspiração na jornalista Lanusse Martins Barbosa, 27, em Brasília, será indiciado por homicídio doloso, de acordo com a Polícia Civil.

O laudo realizado pelo Instituto de Médico Legal (IML) do Distrito Federal mostrou que a jornalista teve uma veia renal perfurada durante a cirurgia de lipoaspiração. Lanusse teria perdido cerca de dois litros de sangue no procedimento.

Os dois principais erros do médico Hackel Cabral, responsável pela cirurgia, foram: ele não percebeu a perfuração do rim e não deu importância ao alerta da perda dos sinais vitais feita pelo anestesista.

Cabral será indiciado por homicídio doloso com dolo eventual, quando o médico assume o risco de matar, e pode pegar de seis a 20 anos de prisão.