Publicado em: segunda-feira, 21/04/2014

Cinzas de García Márquez ficarão na Colômbia e no México

Cinzas de García Márquez ficarão na Colômbia e no MéxicoO corpo do escritor colombiano Gabriel García Márquez foi cremado na última quinta-feira, dia 17 de abril. Depois de um tempo internado na capital mexicana, onde reside há mais de 30 anos, o escritor recebeu alta e faleceu em casa. O laudo de óbito aponta uma insuficiência renal e respiratória como causas da morte de um dos maiores escritores da atualidade.

Gabo, como era carinhosamente chamado, ganhou o prêmio Nobel de Literatura. Ele faleceu na quinta-feira, às 12h08. Uma fonte revelou a Rádio Caracol, que o corpo foi cremado no mesmo dia e as cinzas permanecem na funerária García López, localizada no bairro de Pedregal, na Cidade do México.
O escritor tinha 87 anos e sua morte ganhou repercussão no mundo todo. A homenagem pública a um dos maiores nomes da literatura latino-americana irá acontecer na segunda-feira, dia 21 de abril. A cerimônia será realizada na Cidade do México, no Palácio de Bellas Artes. Juan Manuel Santos, presidente da Colômbia, está com presença confirmada. A informação foi repassada pelo embaixador da Colômbia, José Gabriel Ortiz.

As cinzas de Gabo serão levadas ao Palácio de Bellas Artes por Juan Manuel Santos e Rafael Tovar, que é presidente do Conselho Nacional para a Cultura e as Artes do México (Conaculta). As duas autoridades irão fazer parte da primeira guarda de honra da solenidade. A homenagem a Gabo será feita a partir das 18horas.

As cinzas do escritor ficarão tanto no México quanto na Colômbia. Gabriel García Marquez nasceu na cidade colombiana de Aracataca, no norte do país, e escolheu a capital mexicana para passar mais de três décadas de sua vida. Os fãs colombianos fizeram vigília e acenderam velas em frente à casa da família.

Em uma entrevista à imprensa, a irmã de Gabo chamada Aída García Márquez falou que queria que as cinzas dele ficassem na Colômbia, que é sua verdadeira terra. Entre as obras mais célebres de García Marquez está “Cem Anos de Solidão”, que foi traduzida em vários idiomas.