Publicado em: sexta-feira, 22/03/2013

Cientistas produzem dispositivo subcutâneo que faz o monitoramento do sangue

Cientistas produzem dispositivo subcutâneo que faz o monitoramento do sangueCientistas suíços fizeram o desenvolvimento de um dispositivo minúsculo e subcutâneo que realiza exames do sangue e enviam resultados de maneira imediata para aparelhos celulares.

Os pesquisadores da Escola Politécnica Federal da cidade de Lausanne, diz que o protótipo conta com só 14 milímetros e pode ser utilizado para que detecte cinco substâncias no sangue. Estes resultados são então enviados para aos médicos através da tecnologia de Bluetooth.

Este dispositivo com tamanho minúsculo pode ser colocado dentro do paciente através de uma seringa, logo embaixo da pele em locais do corpo como o abdômen, as pernas ou os braços. Os pesquisadores afirmam que o mecanismo pode ser deixado no local por vários meses e apenas depois disso é necessário que seja removido ou substituído. Conforme os cientistas que criaram o protótipo, este dispositivo deve estar disponível ao público em até quatro anos.

Colesterol e diabetes

Outros cientistas já estavam trabalhando em realizar implantes subcutâneos semelhantes, porém o professor Giovanni de Micheli junto com o cientista Sandro Carrara que liderou esta pesquisa, disseram que este exame de sangue que foi criado na Suíça ocorre de maneira pioneira, pois poderá fazer a análise de problemas distintos de uma só vez.

De Micheli e Carrara disseram que este dispositivo vai ser bastante útil para que problemas de colesterol alto e de diabetes sejam monitorados, fora serem analisados impactos de tratamentos como a quimioterapia.

De Micheli diz que isto irá permitir que ocorra um monitoramento de maneira direta e contínua, com base na intolerância que cada paciente tem de maneira individual, e não nas tabelas como idade e peso ou em exames de sangue a cada semana.

Os cientistas testaram até agora o dispositivo em laboratório e em animais. Eles fizeram a afirmação que o mecanismo poderá fazer a detecção de uma maneira confiável de como estão os níveis de colesterol e de glicose no sangue, da mesma foram que substâncias comuns que médicos tentam encontrar nos seus exames.

Os pesquisadores querem começar a fazer testes deste dispositivo em pacientes que foram internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), que necessitam de monitoramento direto, como exames de sangue de maneira frequente. Os resultados que forem encontrados nesta pesquisa vão ser apresentados na conferência de aparelhos eletrônicos Design, Automação e Teste na Europa, chamada de Date.