Publicado em: quarta-feira, 28/09/2011

Cientistas desenvolvem droga capaz de controlar o autismo

Os dias para controlar o autismo podem estar contados. A síndrome, que atinge aproximadamente 70 milhões de pessoas no mundo – de acordo com dados da Organização das Nações Unidas – se distingue pela disfunção no desenvolvimento linguístico, social e psiconeurológico. Cientistas estão avaliando uma droga que promete controlar o autismo.

O biólogo brasileiro e professor da faculdade de Medicina da Universidade da Califórnia, Alysson Muotri, um dos principais nomes no estudo do autismo no mundo, divulgou na revista científica “Cell” como que ele e sua equipe conseguiram “arrumar” neurônios atingidos por uma das formas mais graves de autismo, a Síndrome de Rett.

A pesquisa de Muotri despertou a esperança de que a droga que eles utilizaram naquela síndrome poderia ser usada para tratar outras formas do autismo. Segundo Muotri, em palestra dada ontem em São Paulo, sua equipe está trabalhando justamente nisso. Ele afirma que o medicamento teve resultados em laboratório, mas não é possível garantir que irá recuperar o cérebro de pessoas com autismo.

De acordo com o cientista, a medicação deve ser aprimorada, e isso pode levar cerca de dez anos. Muotri se diz um cético e que não acreditaria na eficácia do medicamento no início da pesquisa. Porém, seu ceticismo está sendo colocado à prova agora que possui um modelo que funciona em laboratório.