Publicado em: quinta-feira, 17/11/2011

Cientistas descobrem indícios de água líquida em uma das luas de Júpiter

Cientistas norte-americanos publicaram na revista Nature o descobrimento de colunas de água quente próximas à superfície de uma das luas geladas do planeta Júpiter. Essas evidências comprovariam a existência de água em estado líquido no satélite. A água quente seria o fator que derrete e rompe as camadas mais superficiais da lua de Júpiter, que normalmente são identificadas em forma de gelo. De acordo com a publicação na revista científica, as águas quentes estariam a três quilômetros da superfície.

De acordo com a diretora do Programa de Astrobiologia da Nasa, Mary Voytek, “os dados nos abrem possibilidades. No entanto, cientistas vão precisar de uma análise mais profunda e revisar os dados antes que possam avaliar com maior precisão o que, de fato, os resultados implicam”. O fato de terem encontrado água em estado líquido em uma das luas de Júpiter significa que pode existir vida em outro lugar além da Terra, sendo que este elemento é essencial para a sobrevivência.

A identificação da água nessa lua, que foi batizada de Europa, faz lembrar do personagem David Bowman, criado pelo escritor Arthur C. Clarke, que descobre vida aquática na mesma lua de Júpiter no fundo de um oceano. O personagem faz parte do livro “2010: Uma Odisséia no Espaço 2”.

Porém, até este momento parecia ser impossível a tentativa de fazer buracos na camada de gelo que existe na lua Europa, pois a espessura é grossa. A superfície de Europa vem sendo estudada há anos por conta do seu aspecto sulcado.