Publicado em: quinta-feira, 04/07/2013

Cientistas criam orelha humana com impressora 3D

Cientistas criam orelha humana com impressora 3DNos Estados Unidos da América a Universidade de Princeton, usou a nova impressão em 3D como uma técnica em criar orelhas em orelhas humanas feitas com células de cartilagem, compostas por uma espécie de polímero e nanopartículas que são eletrônicas e tem a capacidade de captar algumas das frequências em um espectro com mais amplitude até que o ouvido dos humanos.

A impressora 3D usada para a impressão da orelha humana é um equipamento comum, o mesmo que cria os objetos em geral com tridimensionalidade usando a aplicação de materiais com finas camadas, feitas em lâminas compostas de suas determinadas matérias-primas.

Para os testes os pesquisadores da universidade fizeram uso de células retiradas de bezerros, que foram aplicadas sobre a base feita em um material em polimérico, depois estas se tornaram cartilagem. A maquina impressora 3D foi de capaz de inserir ao mesmo tempo, junto a estrutura já estabelecida também partículas que formam uma espécie de antena que tem a capacidade de captar varias frequências e fazer a “orelha ouvir”.

A liderança desta pesquisa da Universidade de Princeton é do cientista Michael McAlpine, que decidiu começar esta pesquisa por que a orelha humana é entre todas as estruturas uma das mais difíceis de serem através de métodos cirúrgicos. Este modelo realizado na pesquisa da Universidade norte-americana precisa ainda de outros testes e algumas melhorias até chegar ao ponto de poder ser implantada em cirurgias em humanos e ser usada de fato.

Porém, para os pesquisadores realizadores da descoberta que foi publicada na Nano Letters, uma revista norte-americana muito importante do setor, esta técnica desenvolvida pelos pesquisadores e muito promissora com no intuito de substituir aqueles órgãos humanos que apresentam problemas ou ainda servirá para criar aquelas partes do corpo excedentes das que foram naturalmente perdidas. Tonando o efeito de prótese num futuro bem prótese praticamente substituível por uma meio quase que feito pela criação de um novo pedaço do ser humano a ser reposto.