Publicado em: quinta-feira, 24/11/2011

Cientista-chefe das missões a Marte afirma que a Nasa poderia enviar astronauta ao planeta vermelho em cinco anos

Com a nova data marcada para o lançamento da nave Curiosity, desenvolvida pela agência espacial norte-americana (NASA), o cientista-chefe responsável por todas as missões a Marte, Michael Mayer, afirmou que os principais obstáculos para enviarem o homem ao planeta vermelho são o financeiro e a motivação. De acordo com Mayer, se a NASA quisesse desenvolver esse programa, o primeiro homem a ser enviado a Marte poderia participar dessa missão em cinco anos.

No momento, o orçamento previsto para uma única missão tripulada a Marte custaria cerca de 100 bilhões de dólares, quantia que representa o PIB total do Vietnã, por exemplo. O programa Apollo, que teve como objetivo a chegada do homem à Lua, precisou de 17 missões e custou 25 bilhões de dólares em 1969 aos cofres americanos. Essa fatia equivale a 150 bilhões de dólares em 2011. Esses números exemplificam a dificuldade de realmente investir na viagem a Marte quando se pensa na questão financeira.

Com relação à escolha pelo planeta, Mayer explica que “Marte é um destino particularmente importante porque, de todos os lugares no Sistema Solar, Marte é o único planeta que tem qualquer potencial para que possamos ‘cultivar a terra’, por assim dizer”. Isso se justifica ao entender que Marte não é tão quente quanto Vênus e que há indícios de existência de água no planeta.

De acordo com Mayer, “estamos planejando outro jipe com a agência espacial europeia que será lançado em 2018. Ele vai recolher amostras do solo de Marte. É a nossa esperança de iniciar as missões que vão trazer pedaços de Marte de volta à Terra. Não queremos enviar humanos a menos que tenhamos tempo suficiente para analisar essas amostras, por questões de segurança”.