Publicado em: sexta-feira, 05/04/2013

Chorão morreu por overdose de cocaína, diz laudo de IML

Chorão morreu por overdose de cocaína, diz laudo de IMLA Secretaria de Segurança Pública divulgou no final da tarde de quinta-feira (04) o laudo necroscópico da Polícia Técnico-Científica de São Paulo que aponta que Alexandre Magno Abrão, conhecido popularmente como Chorão faleceu em decorrência de uma overdose de cocaína aos 43 anos.

O vocalista da banda Charlie Brown Jr foi encontrado morto pelo motorista no seu apartamento localizada na Zona Oeste da capital paulistana no dia 06 de março de 2013.

O laudo do exame toxicológico indicou que o corpo de Chorão apresentava 4,714 microgramas de cocaína por cada mililitro de sangue no corpo do cantor.
Segundo os peritos do Instituto Médico Legal (IML), através dos testes foi possível concluir que em termos técnicos, o cantor morreu devido à uma intoxicação exógena resultada da cocainemia.

A hipótese de uma overdose por causa de drogas já era considerada pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), pois durante uma revista no apartamento do cantor, os peritos encontraram caixas de medicamentos, bebidas alcoólicas reviradas pelo local e resto de um pó branco.

Graziela Gonçalves, ex-mulher de Chorão, e os integrantes da banda Charlie Brown Jr confirmaram em depoimento ao DHPP que o vocalista fazia uso de entorpecentes, e que antes da morte, o cantor estava fazendo uso descontrolado da droga.

Durante o depoimento, Graziela afirmou que tinha perdido o ex-marido para as drogas, e afirmou que tinha se separa do cantor porque ele estava viciado em cocaína e isso estava afetando demais o relacionamento e a vida dos dois.

O resultado do laudo necroscópico de número 758/2013 será anexado ao inquérito do caso pela Polícia Civil. Após a conclusão do caso, o inquérito será encaminhado ao Ministério Público e da Justiça para que finalmente seja arquivado.

Além de líder do Charlie Brown Jr, Chorão era letrista e também se aventurava como roteirista de filmes nacionais.