Publicado em: quarta-feira, 10/04/2013

China monitora termos através do Skype

China monitora termos através do SkypeO estudante americano, Jeffrey Knockel, de 27 anos, teve acesso a palavras monitoradas pela China através do Skype. Termos como Apple, Anistia Internacional, BBC, vídeo pornô e até uma franquia do McDonalds na cidade chinesa de Chengdu, embora não aparentem ter muito em comum são acompanhados de perto pelo país através do serviço de mensagens eletrônicas.

A espionagem é conhecida desde 2008, três anos após o software da Microsoft ter começado a ser baixado de forma legal em território chinês através de parceria com a empresa Tom de Hong Kong, que deu novo nome ao serviço de troca de mensagens no país: TOM-Skype, que apesar de não ter sido produzido pela empresa americana é praticamente igual ao utilizado nos EUA.

A novidade do artigo assinado pelo doutorado em ciência da computação na Universidade do Novo México, nos Estados Unidos é lista de termos e expressões proibidos, vários relacionados a protestos contra o regime, o que explica a presença da rede de fast-food americana na lista.

Jeffrey utilizou-se do método de engenharia reversa para a obtenção dos dados. Partindo de um ponto monitorado até a análise comportamental do programa para entender o funcionamento do seu mecanismo.

O mais complicado segundo o estudante durante sua pesquisa foi usar como base o Skype original já que o utilizado na China possui diferentes protocolos de segurança dificultando o acesso aos termos de espionagem utilizados.

O monitoramento não afeta somente a comunicação feita dentro do país, mas também tem acesso a informações de pessoas de outras partes do mundo que utilizam o serviço para contato com chineses.

Entenda o Skype

Skype é um serviço de mensagens instantâneas semelhantes ao extinto MSN, que permite a interação de pessoas de qualquer parte do mundo através de serviços de texto, voz ou vídeo através do computador.