Publicado em: segunda-feira, 05/03/2012

China aumenta gastos militares em 11,2%

O governo chinês afirmou neste domingo (4) que o país aumentou os gastos militares em 11,2% para 2012. O governo apresentou o primeiro orçamento da Defesa depois que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez o lançamento de uma política “pivô” para reforçar a presença norte-americana nos países da região da Ásia e do Pacífico.

Segundo o anúncio feito pelo porta-voz do Parlamento, Li Zhaoxing, o país deve elevar os gastos com o Exército a 670,3 bilhões de iuans, o equivalente a 110 bilhões de dólares, em 2012. Em 2011 a China já havia tido um aumento de 12,7% e isso vem ocorrendo com freqüência nos últimos 20 anos.

De acordo com especialistas internacionais, o orçamento público de Pequim é menor do que o gasto em modernização militar. Essa especulação por parte de analistas deixou o governo Chinês nervoso e fez com que outros países, como Estados Unidos, pedissem mais informações sobre o orçamento anual do país.

No entanto, Li afirmou que os recursos que o país gasta são menores em relação ao Pentágono. Ressaltou também que o país tem 1,3 bilhão de pessoas, um território extenso e uma longa costa. Essas justificativas foram feitas por Li durante uma coletiva de imprensa antes da sessão do Congresso Nacional do Povo que deve aprovar o orçamento.

China quer defender suas fronteiras

Li, que é ex-ministro das Relações Exteriores, disse que o poder militar da China tem somente o objetivo de preservar a soberania nacional, a segurança e o território chinês. No entanto, este novo aumento com gastos militares vai reforçar as preocupações dos países vizinhos como o Japão, Índia e Taiwan. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, assegurou aos aliados asiáticos que os Estados Unidos continuarão sendo relevantes na região. Ressalta-se que o orçamento norte-americano para o próximo ano prevê um gasto de 525,4 bilhões de dólares com defesa. Esse valor é 5,1 bilhões de dólares a menos do que o aprovado para ser gasto em 2012.