Publicado em: segunda-feira, 14/04/2014

Chile enfrenta grave incêndio

Chile enfrenta grave incêndioO fogo que se alastra na cidade de Valparaíso já deixou ao menos 12 mortos. O incêndio já destruiu duas mil residências. Policiais e militarem tentam conter as chamas com aviões e helicópteros.

A situação é a mais grave que já aconteceu na história de Valparaíso, cidade portuária do Chile. O fogo começou no último sábado, dia 12 de abril e seguiu na madrugada de segunda, quando mais casas goram atingidas.

A expectativa era de que o fogo fosse controlado em até 48 horas. Após isso, a atitude das autoridades é fazer uma avaliação dos danos para começar a reconstrução da área atingida. As informações mais recentes são de que 850 hectares foram atingidos, além de duas mil residências.

Cerca de oito mil pessoas estão desabrigadas e outras dez mil foram deslocadas. Em torno de 1200 pessoas passaram as duas noites em abrigos. A presidente do país, Michelle Bachelet, tinha uma viagem marcada para a Argentina. Mas precisou cancelar o compromisso para tomar providências para ajudar a população.

O vento na região ajudou o fogo a se alastrar ainda mais. A localidade mais afetada é Ramaditas, região de vasta vegetação e de construções feitas de material inflamável. Outros locais atingidos são Mariposas, Jiménez e Santa Elena Rocuant.

Em Valparaíso, há pessoas que vivem em casas de madeira nas colinas. Essas residências ficaram prejudicadas.

Algumas pessoas se recusaram a sair de suas casas como um casal de velhos que acabaram falecendo. Os corpos dos idosos ficou carbonizados sobre a cama em que estavam abraçados. Valparaíso é Patrimônio da Humanidade declarada em 2003 pela Unesco.

A presidente do Chile declarou a situação como uma catástrofe e as Forças Armadas foram mobilizadas.

As causas do incêndio ainda não foram identificadas e o governo busca controlar novos focos. Os Carabineros, como é chamada a polícia do Chile, avisou os motoristas através das redes sociais a evitarem a estrada que chega até Valparaíso, a Rota 68.

Michelle Bachelet visitou a região no domingo, dia 13 de abril.

Em algumas regiões houve corte no abastecimento de água para destiná-la ao combate do incêndio. A população também deve evitar sair de casa de carro para que as vias fiquem livres para a passagem dos caminhões de água.