Publicado em: quinta-feira, 03/04/2014

Chile avalia consequências do terremoto

Chile avalia consequências do terremotoRecentemente, o Chile vem enfrentando sérios danos causados por um tremor de terra de grau 8,2 na escala Richter, que mede a intensidade dos terremotos. O fenômeno natural aconteceu em torno de 100km da cidade de Iquique, na região norte do país. Seis pessoas vieram a óbito.

A população começou a sentir o tremor por volta das 20h45, horário do Brasil, da última terça-feira, dia 1º de abril. O terremoto durou apenas dois minutos, o que foi suficiente para causar grandes estragos ao país. Um alerta de tsumani foi feito e muitas pessoas foram retiradas de suas casas. Mas o tsumani foi descartado e a população retornou para seus lares.

Mais de 970 mil pessoas foram mobilizadas com o alerta de tsunami feito no dia seguinte ao terremoto, em 2 de abril. Esses habitantes foram retirados de suas residências localizadas próximas a 4,329 quilômetros do litoral chileno. As regiões de Tarapacá e Arica foram decretadas como zonas de catástrofe pela então presidente do país, Michelle Bachelet.

O terremoto no norte foi seguido de um tsunami, que graças à baixa intensidade não provocou maiores danos. A presidente foi até Iquique verificar a situação dos chilenos. Os mortos foram cinco homens e uma mulher. O tremor também foi sentido pela população que vive ao sul do Peru. Lá, foram contabilizados nove feridos além de estragos em casas.

O alerta de tsunami foi dado pela Agência Meteorológica Japonesa, que foi descartado. A previsão era de que um novo fenômeno poderia atingir o leste do oceano Pacífico com ondas de quase um metro de altura. O Chile é um dos países com maior deslocamentos de placas tectônicas do mundo.

O motivo é pelo país estar localizado na junção entre uma placa e outra, onde ocorrem as atividades sísmicas. Para prevenir catástrofes, a população faz simulações de alerta com frequência. Os voos para as cidades de Iquique, Antofagasta e Arica foram cancelados entre terça e quarta-feira, mas já estão sendo reestabelecidos. Mas, as estradas estão sendo desobstruídas por causa dos inúmeros desabamentos.

Quando ao porto, cerca de 80 embarcações foram avariadas ou arrastadas. A águas do mar avançaram 200 metros e chegou a alagar as avenidas de Iquique.