Publicado em: quarta-feira, 26/09/2012

Chegada de tablets mais acessíveis ajudam vendas do segmento

Chegada de tablets mais acessíveis ajudam vendas do segmento crescerem 120% no 1º semestreA vinda de novos fabricantes de tablets ao Brasil e o lançamento de aparelhos “de entrada”, com preço inferior a R$ 1 mil, ajudaram as vendas a mais que dobrar no segmento no país.

Nos seis primeiros meses, foram vendidas quase 1 milhão de unidades do equipamento (977 mil de janeiro até junho), um aumento de 120% em relação ao mesmo período de 2011, conforme dados da IDC, consultoria de tecnologia.

Apenas de abril até junho, foram vendidos mais de 600 mil tablets, um número quase três vezes superior ao segundo trimestre do ano passado. Em 2010 quando a Apple lançou o iPads vendas no Brasil foram de apenas 110 mil unidades, este número é apenas um décimo do que foi comercializado neste ano de janeiro até junho.

Segundo o analista do IDC, Attila Belavary, estes números se devem ao fato dos fabricantes terem sido incentivados pelo governo federal em maio de 2011, graças as isenções fiscais concedidas e também pela descoberta das funcionalidades do público em relação o objeto, segundo Belavary: ”As pessoas continuam comprando e utilizando computadores junto de outros dispositivos complementares. Os tablets são a preferência para tarefas voltadas ao consumo de conteúdo, como navegação na internet ou acesso a vídeos, livros e músicas. Cada produto é melhor para uma determinada função e o usuário dividirá o seu tempo de utilização entre todos eles. O maior impacto será na extensão do tempo de vida dos computadores, que serão menos utilizados para tarefas de consumo e mais utilizados em tarefas para criação de conteúdo dentro do seu ambiente de produtividade”.

Em 2010, apenas dois fabricantes de tablets vendiam no país. No ano passado esse número saltou para 17 empresas e hoje atinge 21 em todo o Brasil, conforme Belavary: “Boa parte dessas companhias decidiu atuar no mercado com produtos de entrada, com telas menores, baixa capacidade de armazenamento e sem conectividade 3G”. O resultado disso é que os tablets com preços inferiores a R$ 1 mil, que significavam apenas 3% do mercado em 2010, hoje atingem 53% das vendas no setor. Vale ainda ressaltar que o preço médio dos tablets caiu de R$ 1.250 em janeiro de 2011 para R$ 840 no terceiro trimestre deste ano.