Publicado em: sábado, 05/11/2011

Chefe das Farc morre na Colômbia

Nesta sexta-feira, dia 4 de novembro, Guillermo León Sáenz Vargas, chamado também por “Alfonso Cano”, foi morto por tropas do exército colombiano no próprio país. Alfonso Cano era o chefe máximo das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). De acordo com o Alberto Gonzalez Mosquera, governador de Cauca, região onde ele foi morto, os objetivos militares foram alcançados.

Especula-se na Colômbia que a morte do guerrilheiro aconteceu há duas semanas, mas só agora foi plenamente divulgada. Ainda não se sabe mais detalhes sobre a operação. As Farc não se manifestou sobre o ocorrido. O presidente colombiano, Juan Manoel Santos, afirmou que a morte do chefe da guerrilha foi uma ação decisiva para as Farc. O presidente ainda disse que a guerrilha está mais enfraquecida nos últimos anos após tantas derrotas para as autoridades da Colômbia.

Santos alertou os guerrilheiros que ou eles param com esta luta ou todos vão acabar em tumbas ou na cadeia. De acordo com Juan Carlos Pinzón, ministros da Defesa da Colômbia, nesta operação foram capturados também outros quatro integrantes da guerrilha. Entre os capturados, está “El Índio Efraín”, chefe de segurança das Farc.

As Farc foi fundada em 1964, e tem hoje aproximadamente 8 mil guerrilheiros. Em sua história, a guerrilha já perdeu outros dois chefes importantes. Raul Reys, morto em março de 2008 em um ataque aéreo, e Ivan Rios, que foi morto por um outro rebelde.