Publicado em: quinta-feira, 12/03/2015

Chefe da McLaren prevê Alonso no GP da Malásia

O CEO da McLaren, Ron Dennis, pediu desculpas à imprensa e declarou que cometeu um erro ao contradizer os médicos que estavam cuidado do piloto espanhol Fernando Alonso após o acidente, negando que ele tivesse sofrido uma concussão. O acidente aconteceu em fevereiro, durante os testes para a temporada 2015 da Fórmula 1. Por conta das consequências pelo acidente sofrido, Alonso está fora da abertura da temporada, no Grande Prêmio da Austrália.

O espanhol bateu o carro em uma corrida de teste em Barcelona no último dia 22 de fevereiro, passando depois disso por uma internação de quatro dias. Mesmo sem qualquer alteração nos exames do espanhol após o acidente, a lesão na cabeça foi o que motivou os médicos a vetarem a participação de Alonso no GP da Austrália. Isso porque eles temem que o piloto sofra um novo acidente. Caso isso acontecesse, o espanhol seria vítima da Síndrome do Segundo Impacto, algo que poderia resultar em graves danos ao cérebro de Fernando Alonso.Chefe da McLaren prevê Alonso no GP da Malásia

Antes da divulgação do veto de Alonso na corrida em Melbourne, Dennis concedeu uma entrevista coletiva à imprensa e minimizou os problemas de saúde do piloto, declarando que não haveria qualquer motivo que impedisse a participação do piloto espanhol na corrida que iria marcar o retorno de Alonso à McLaren. O dirigente afirmou que sua postura na entrevista não foi sua melhor performance e entendia ainda porque chegou a ser tão duramente criticado pela imprensa, já que não prestou informações precisas. Ele declarou ainda que pretende no futuro ser o mais honesto possível ao prestar este tipo de declaração.

O CEO da McLaren ainda afirmou que existe uma série de complexidades no que se refere à concussão de Alonso. Com relação ao veto do piloto, ele deixou claro que essa decisão não teve envolvimento da diretoria da equipe. De acordo com ele, pelo quadro do piloto e sua recuperação, ele deve participar do GP da Malásia, previsto para o dia 29 de março. Dennis garantiu que a decisão sobre participar ou não da próxima corrida está nas mãos do piloto. No caso do GP da Austrália, Alonso será substituído pelo piloto Kevin Magnussen.