Publicado em: segunda-feira, 08/08/2011

Chávez analisa crise econômica e pede pelo fim da ‘ditadura do dólar’

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou nesta sábado que a situação dos Estados Unidos, cuja note de crédito foi rebaixada por um dos índices de qualificação de risco pela primeira vez na história, é “bem grave” para o mundo capitalista e que está na hora do fim da “ditadura do dólar”.

“O mundo deve se reorientar e se livrar da ditadura do dólar, ir além da ditadura do império ianque. Temos que nos libertar”, disse, antes de uma nova viagem a Cuba para iniciar o segundo ciclo de quimioterapia contra um câncer. Chávez, que conseguiu estabilizar setores chaves da economia venezuelana com o petróleo e as telecomunicações, voltou a dizer nos últimos dias que o sistema capitalista “está quebrado”, e que o socialismo é a melhor alternativa.

O presidente venezuelano reconhece que a crise americana pode ter impacto direto no país, que é um dos principais fornecedores de petróleo para os Estados Unidos, mas garantiu que os vínculos com outras nações, como o Brasil, Rússia e China, permitem que a economia da Venezuela seja menos dependentes de Washington.

“A Venezuela vem se preparando há anos para se desvincular do sistema capitalista hegemônico mundial, não é nada fácil”, comentou Chávez, durante um discurso transmitido pelo canal oficial VTV. Ele voltou a lembrar que o país possui “um financiamento garantido com vários países. Com a China, há um financiamento pesado”, disse.