Publicado em: sábado, 26/05/2012

Cesáreas aumentam o risco de obesidade infantil

O parto ocorrido de forma cesariana pode aumentar em até dias vezes o risco desses bebês se desenvolverem e crescerem crianças obesas já aos três anos de idade. A novidade foi divulgada através de um levantamento realizado nos Estados Unidos, divulgado na revista pediátrica “Archives of Disease in Childhood” (em tradução livre, “Arquivos de Doenças na Infância”), ainda nesta quinta feira (24).

O causador seria a diferença de bactérias existente no intestino dos bebês, que são adquiridas no parto cesáreo ou no normal. Mais de mil e duzentos bebês foram avaliados pela equipe, em diferentes oito maternidades de Massachusets, entre os anos de 1999 e 2002. Um quarto deste total, cerca de 280, nasceu através de cesareana e o restante por parto normal.

Resultados

Do grupo que nasceu por cesárea, mais de quinze por cento eram considerados obesos já aos três anos. Isso representa mais que o dobro do índice dos que nasceram por parto normal, 7,5%.

Segundo os médicos informaram, mães que realizaram o parto cesárea continham, em média, mai peso que as outras, resultando que, seus bebês eram também os mais pesados ao nascer. Mesmo que amamentava por menos tempo, a tendência a obesidade foi mantida.

De acordo com a equipe de médicos responsável pelo levantamento, do Hospital Infantil de Boston, a diferença está nas bactérias. Os bebês que nascem através de parto normal adquirem bactérias do gênero Bacteroides da mãe, microorganismos essenciais para uma boa digestão dos alimentos.

Entretanto, quem nasceu por cesárea, além de terem menos Bacteroides, ainda apresentam mais bactérias do gênero Firmicutes, ligadas à obesidade por expandir a energia que se extrai dos alimentos. Ela ainda causa uma inflamação que piora a regulação da absorção de açúcar.
Além da obesidade infantil, a cesárea também está relacionada a maior risco de desenvolver asma e rinite alérgica, como foi apontado em estudos anteriores.