Publicado em: sexta-feira, 27/07/2012

Cerimônia de Abertura das Olimpíadas – Portas-bandeiras têm histórias diferentes

Cerimônia de Abertura das Olimpíadas – Portas-bandeiras têm histórias diferentes A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos costuma reserva para os portas-bandeiras da delegações o espaço para atletas que se destacam na função de representar seu país. É comum que as delegações escolham para desempenhar tal função escolham atletas que costumam ter resultados expressivos, porém, em alguns casos, quem terá este privilégio não serão necessariamente desportistas de destaque.

Na abertura dos Jogos Olímpicos de Londres, que inicia às 17 horas (horário de Brasília), por exemplo, algumas delegações, caso da República Tcheca e Ruanda, escolheram nomes por suas trajetórias exemplares, não necessariamente como atletas. O Paraguai também terá como porta-bandeira um atleta com história no mínimo curiosa.

O país sul-americano será representado pelo nadador Benjamin Houkin, que nas Olimpíadas de Pequim competiu pela Inglaterra. O atleta nasceu na Colômbia, mas decidiu se naturalizar paraguaio, nacionalidade de sua mãe. Já a República Tcheca terá como porta-bandeira Petr Koukal, atleta do badminton que espera levar para as Olimpíadas uma mensagem de superação. Atual número 71 do ranking mundial da modalidade, o tcheco passou por um câncer, diagnosticado em 2010 e conseguiu se recuperar e se classificar para as Olimpíadas.

Koukal afirma que pretende divulgar a organização de apoio a portadores de câncer fundada por ele, e conseguir apoio para a sua causa. Já Ruanda terá como porta-bandeira Adrien Nyounshuti, do mountain bike. O ciclista é sobrevivente de uma massacre que vitimou mais de 800 mil pessoas, e quer que em Londres seus país passe a ser lembrado pelo esporte, ao invés da violência que assolou o país a 18 anos.

O Brasil terá como porta-bandeira o cavaleiro Rodrigo Pessoa, medalhista de ouro em Atenas e bronze em Atlanta. Outras delegações terão ‘celebridades’ desempenhando esta função, caso da Sérvia, em que o tenista Novak Djokovic irá representar o país, ou a Espanha, que escolheu o jogador de basquete Pau Gasol para desempenhar esta função.