Publicado em: segunda-feira, 12/03/2012

Cerca de 90% dos postos já estão com combustível em SP

Estima-se que até a manhã desta segunda-feira (12), entre 85% e 90% dos 2,3 mil postos de combustíveis que existem na Grande São Paulo já foram abastecidos. A informação é de José Alberto Paiva Gouveia, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro). Durante todo o final de semana, os motoristas dos caminhões-tanque operaram para reabastecer os postos, que sofreram com a falta de combustíveis durante a semana passada, devido a greve dos condutores.

Segundo o presidente do Sindicato, a partir desta semana os consumidores não irão mais enfrentar problemas de abastecimento. “Ele pode não conseguir abastecer no posto em que é acostumado, mas em um vizinho tem”, garantiu. Mesmo com a normalização do serviço, os estoques de combustíveis nos postos só voltarão ao normal a partir da próxima semana, já que as reservas sofreram uma queda. Na quinta-feira (8), cerca de 60% dos postos de gasolina da Grande São Paulo já haviam sido abastecidos.

A paralisação do abastecimento dos postos de gasolina aconteceu em protesto às novas restrições à circulação de caminhões pela Marginal Tietê, via mais movimentada da capital paulista. Os efeitos da greve dos distribuidores de combustível dos postos de gasolina afetaram ainda cidades do interior do Estado. Além disso, taxistas que trabalham na cidade de São Paulo foram bastante prejudicados com a falta de combustíveis. Eles tiveram que procurar postos mais distantes, na periferia, para continuar trabalhando, e mesmo assim, parte da categoria teve seu trabalho impossibilitado na quarta-feira (7).

Ao menos 18 postos de combustível foram autuados pelo Procon por aumentarem abusivamente os preços durante o protesto dos caminhoneiros. Outros 22 ainda foram chamados a prestar esclarecimentos. Foram detectados aumentos de até 51% no valor normal do combustível. Os postos de combustíveis autuados deverão passar por processo administrativo e podem receber multas de R$ 400 a R$ 6 milhões.