Publicado em: sábado, 22/02/2014

Cegos podem voltar a “enxergar” a luz

Cegos podem voltar a “enxergar” a luzCientistas americanos têm feito testes em camundongos com uma droga que poderá dar aos cegos a capacidade de reconhecer a luz. Conhecidas como cones e bastonetes, estas são uma das partes que compõem a retina e são responsáveis pela reação dos olhos à luz. Em casos de cegueira, podem ser comprometidas ou até mesmo exterminadas.

O medicamento que ainda está em teste, será capaz de fazer com que os olhos identifiquem a claridade e sejam mais perceptíveis à luz. Pesquisadores produziram substâncias denominadas Denaq que são capazes de enviar sinais aos cérebros de que houve alguma alteração na luminosidade.

O estudo tem sido cada vez mais satisfatório, mas a principal limitação das pesquisas é saber o quanto mudou na visão dos camundongos e o percentual de recuperação da visão de cada animal, sabe-se apenas que os animais desenvolveram mecanismos para identificar a luz. Não se sabe também qual o tempo de duração da substância no organismo, mas no caso de camundongos, os animais ainda enxergavam uma semana após a aplicação.

A partir destes experimentos, os cientistas deverão fazer pesquisas em animais de grande porte, para constatar a efetividade da droga. O estudo está em fase inicial e ainda não há uma previsão de quando o Denaq será testado em seres humanos, mas acredita que se os estudos correrem conforme eles acreditam, esta será uma ferramenta para que um dia o deficiente visual consiga ver novamente.

Além deste medicamento, há outros estudos que buscam o mesmo resultado, como por exemplo o uso de células tronco para que o DNA do indivíduo seja restaurado e as células problemáticas sejam corrigidas.

Cegueira no mundo:

De acordo com um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), existem 39 milhões de cegos em todo o mundo, e cerca de 249 milhões de pessoas sofrem de perda parcial da visão, destas, 90% vivem em países em desenvolvimento.