Publicado em: sexta-feira, 21/02/2014

Ceará: Capital deve ter 230 Km de novas ciclovias, segundo plano diretor

Ceará: Capital deve ter 230 Km de novas ciclovias, segundo plano diretorEm Fortaleza, os debates sobre modais sustentáveis para a mobilidade urbana levaram à criação do Plano Diretor Cicloviário Integrado (PCDI), que prevê a implantação de 230 Km de vias ciclísticas em todas as regiões da cidade. Antes de ser oficializado, em julho de 2014, o plano ainda vai passar pela apreciação popular, para então virar projeto de lei.

Quando oficializado, o PCDI prevê um diagnóstico em toda a capital cearense. O objetivo é que as ciclovias sejam estrategicamente implantadas para que haja integração com o transporte coletivo do município. Atualmente, Fortaleza tem 74 quilômetros de ciclovias, e outros 46 devem ser construídos nos próximos cinco anos. Este novo trecho não faz parte dos 230 Km de novas faixas exclusivas, e teve as obras iniciadas em janeiro do ano passado. Entretanto, apenas 10% dos trabalhos foram concluídos.

A Prefeitura de Fortaleza e a empresa vencedora da licitação realizaram consultas populares, nas quais quase 3.000 pessoas foram ouvidas entre pedestres e ciclistas. No processo de elaboração do PCDI, foram escolhidos 75 pontos da cidade para a captação das opiniões e sugestões.

No PR, rodovias terão que incluir faixas para ciclistas

Um projeto da Secretaria do Meio Ambiente do Paraná prevê que novas rodovias construídas no estado, além de todas que passarem por obras de duplicação, obrigatoriamente terão que oferecer ciclovias. Estima-se que, até 2015, mais de 90 Km de faixas exclusivas para ciclistas serão construídas em diversas regiões do Paraná graças a esta iniciativa.

O anúncio foi feito durante o 3.º Fórum Mundial da Bicicleta, em Curitiba, e foi bastante comemorada pelos participantes do evento. Esta é uma das ações do Programa Ciclo Paraná, que centralizará as ações voltadas ao incentivo ao uso da bicicleta no Estado.

Além da ampliação estrutural, o projeto ainda prevê campanhas de educação no trânsito, ampliação de rotas de cicloturismo e o incentivo ao uso da bicicleta para o trabalho.