Publicado em: quarta-feira, 13/06/2012

Caso Yoki – Família vai pedir DNA da filha do casal

Os familiares do executivo Marcos Matsunaga, 42 anos, assassinado e esquartejado pela mulher, Elize Matsunaga, 30 anos, irá pedir à Justiça um exame de DNA para verificar se ele realmente é o pai da filha de um ano que o casal teve.

De acordo com Luiz Flávio Borges D’Urso, advogado da família da vítima, a decisão foi tomada com base “no passado de Elize”, que conheceu o marido na época em que era prostituta e fazia atendimento pelo site M.Class. No site, ela se descrevia como Kelly, uma “loirinha muito carinhosa”. O anúncio, já retirado do site, é de 2005 e continha os dados: 19 anos, 50 kg, manequim 36 e 1,65 m de altura. Ainda era possível acessar 22 fotos sensuais de Elize.

Foi também no M.Class que Matsunaga conheceu a mulher com quem traiu a esposa nos seis meses que antecederam a sua morte. A mulher em questão é uma morena conhecida como Natália.

Matsunaga era um dos herdeiros da Yoki Alimentos, vendida pouco tempo atrás para um grupo norte-americano, pelo valor de R$ 1,75 bilhão. A família da vítima acredita que as investigações do crime estão sendo satisfatórias, contudo precisa de alguns esclarecimentos, como a possibilidade de Elize ter tido alguma ajuda para se desfazer do corpo, e se o crime foi ou não premeditado.

Amante era paga pela vítima

Para a polícia, a garota de programa Natália contou que Matsunaga lhe pagava R$ 4.000 por mês, desde fevereiro, para tê-la como amante. Ele ainda teria chegado a dar a ela R$ 27 mil, para que a morena tirasse do site M.Class as fotos em que está fazendo contato com clientes.